Itália, Espanha e Reino Unido proíbem o ciclismo

A situação do coronavírus nos leva a reflexão de que os países mais fortes no ciclismo, acabam de proibir esta atividade. As multas variam de 100 a 600 mil euros.

Algumas das justificativas mais repetidas para esta decisão dizem que o intuito é não superlotar os leitos de hospitais, que devem ser todos reservados para pacientes do vírus, devendo evitar que sejam criados acidentes de bikes que levariam a utilização dos leitos.

Mas vale a reflexão sobre o real sentido da proibição: as ruas devem ser esvaziadas, independentemente do risco de contaminação que o ciclismo oferece.

Muito se discute sobre os ciclistas não pedalarem em pelotão – que é um aglomerado de pessoas que respiram ofegantemente, muito próximas umas das outras, com muito vento levando suor e possíveis restos de saliva para os colegas logo atrás.

Independente disso, na Itália já foram proibidos também os treinos de corrida a pé, mesmo que estes ofereçam um risco quase nulo de acidentes – não importa se você sai para treinar sozinho, será multado da mesma forma.

Na Espanha ficou determinado que os cidadãos estão autorizados a sair somente em casos justificados da seguinte forma:

  • Aquisição de alimentos, produtos farmacêuticos e necessidades básicas
  • Assistência a centros de saúde
  • Viagem para o local de trabalho para realizar seu trabalho, provisão profissional ou comercial
  • Retorno ao local de residência habitual
  • Assistência a idosos, menores, dependentes, pessoas com deficiência ou especialmente pessoas vulneráveis
  • Deslocamento para entidades financeiras
  • Devido a força maior ou situação necessária
  • Qualquer outra atividade de natureza análoga devidamente justificada
  • Além da disposição legal, as regras que aplicadas pelo senso comum são mais importantes:

Se você andar de bicicleta e sofrer um acidente, seus cuidados de saúde terão um impacto muito negativo em um sistema prestes a entrar em colapso

Ao fazer treinamento ao ar livre, você tem mais opções para provocar contágios ou espalhar.

Inicialmente, o governo do Reino Unido indicou que não aplicaria quase nenhuma medida restritiva na população para tentar impedir a propagação do coronavírus, sua estratégia seria mais arriscada e permitiria que a população espalhasse quase incontrolavelmente. Mas isso está mudando.

A própria Federação Britânica de Ciclismo anunciou que, seguindo as orientações do governo, todos os eventos esportivos e não esportivos, cursos ou atividades educacionais são suspensos e o ciclismo recreativo é proibido.

Inicialmente, a proibição está em vigor até 30 de abril, mas tudo sugere que o período será prorrogado.

Apesar dessa proibição, parece que há ciclistas que já desobedeceram a regra na Espanha e Itália e já estão sendo advertidos ou punidos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

rio cycling revista ciclo sul