Yanick-the-Mechanic ensina como um mecânico profissional monta uma bike

Yanick-the-Mechanic é conhecido como um dos mecânicos mais qualificados do circuito XC. Como chave principal do campeão olímpico Nino Schurter, ele não apenas presta serviços de manutenção às bicicletas do ciclista de mtb mais rápido do mundo, mas de toda a equipe Scott.

Como mecânico chefe da SCOTT-SRAM MTB Racing, Yanick é responsável por nada menos que 55 Bikes Scott de ponta. A manutenção de mountain bikes e roads no mais alto nível é o negócio diário de Yanick.

  1. ORGANIZE-SE

Se você não se preparar, está se preparando para falhar. Verifique se você possui todos os componentes e ferramentas necessários para concluir a construção da sua bicicleta.

Certifique-se de ter um espaço limpo e tempo livre para fazer isso com paciência. Agora instale o canote de selim para prender a armação no suporte. Use uma graxa de liga ou pasta de montagem de carbono, dependendo do material da estrutura. Nunca prenda um tubo do quadro, pois ele pode ser facilmente danificado pela pressão no lugar errado.

2 – CABEAMENTO INTERNO

Insira todo o seu roteamento interno de cabos / mangueiras antes de adicionar pedivelas, garfos, etc., para ter espaço para trabalhar. Use um passa cabos / mangueiras para impedi-los de bater contra o interior da estrutura.

Usar uma lanterna pode ajudá-lo a olhar para dentro da estrutura, a fim de evitar problemas no cabo e possíveis problemas. Os cabos devem sempre ser direcionados para a estrutura do lado oposto, ou seja, o deslocador montado do lado direito do guidão deve entrar na estrutura no lado esquerdo do tubo inferior, isso faz com que o cabo fique afastado da estrutura no tubo principal, evitando atritos no carbono ou acabamento da armação.

3 – MONTAGEM DO GARFO

Aplique um pano com graxa nos rolamentos e encaixe-os na estrutura. Insira o garfo e deslize a cunha de aperto, a tampa superior, os espaçadores e a haste firmemente para baixo no lugar para verificar a posição correta.

Marque a direção nivelada com o topo da haste. Se você não tiver certeza de quantos espaçadores usará, use sempre o máximo que desejar. Você sempre pode cortar o garfo mais tarde, se precisar.

Desmonte o sistema, corte o garfo com cuidado, lubrifique os rolamentos da caixa de direção e remonte-os. Aperte cuidadosamente a tampa da direção e os parafusos da haste na tensão correta.

4 – MONTAGEM E AJUSTE DO COCKPIT

Adicione o guidão e todos os equipamentos do cockpit – freios, manetes, TwinLoc e controle remoto. Exercite-se para onde essas peças precisam ir, comece com a alça e depois para onde as alavancas de freio precisam ir.

Lembre-se de um suporte de freio com um dedo para dentro, para que sua mão esteja perfeitamente posicionada na alavanca e seu dedo indicador esteja confortavelmente colocado na alavanca de freio.

Ainda não aperte, aperte-os para que não deslizem para os lados, evitando arranhões no guidão. Não se apresse em apertar as roscas dos parafusos, especialmente aquelas com trava já aplicada, se parecer errado, pode estar atravessando uma rosca, então pare, remova e inspecione visualmente antes de tentar novamente.

5 – RODAS E AJUSTE DE BICICLETA

Monte a roda, pneus, discos e cassete traseiro. Coloque as rodas na bicicleta. Retire do suporte. Alinhe a haste. Ajuste os ângulos de controle do guidão e do cockpit de acordo com sua preferência pessoal. Se não tiver certeza, coloque as alavancas para que fiquem paralelas ao ângulo natural dos antebraços quando sentadas na bicicleta. Uma vez satisfeito, aperte com o torque indicado (o padrão é 5nm se não estiver marcado).

6 CABOS

Os controles TwinLoc podem tornar a extremidade frontal de um SCOTT um local complicado, então direcione os cabos com cuidado para ter uma solução mais limpa.

Menor é geralmente melhor, mas verifique sempre se o guidão ainda pode girar completamente sem puxar os cabos / mangueiras muito apertados. Corte com cuidado, abra as extremidades do cabo e adicione ponteiras.

Além disso, não tenha medo de tentar opções diferentes quando cabos e mangueiras estiverem em cima uns dos outros. Como regra geral, a mangueira do freio dianteiro deve ser independente, capaz de se mover livremente com o garfo e guidão (não atravessada por outros cabos e mangueiras). Também recomendamos que ele passe no interior do garfo, para nunca ficar preso na trilha. Tenha cuidado ao encurtar as mangueiras do freio ao apertar o parafuso de religação, pois pode enrolar, fazendo com que a mangueira não corra em linha reta. Se isso acontecer, basta remover a pastilha de freio, permitindo que a mangueira relaxe e recolocar.

7 – MONTAGEM DO PEDIVELA

Primeiro instale o central. Sempre use uma pasta de carbono nas unidades Press Fit ou graxa de montagem nos modelos de rosca. Use graxa à prova d’água nas faces dos rolamentos e para ajudar a colocar o pedivela no lugar. Aperte-o ali, certificando-se de que ainda giram livremente.

Adicione pedais usando graxa de montagem e arruelas de proteção.

Coloque a corrente, verificando o alinhamento correto e ajuste os parafusos de limite superior e inferior do câmbio em relação ao cassete.

Se você possui um sistema de transmissão SRAM Eagle 12, use a maior marcha para definir o tamanho da corrente. Encaixe a corrente, verificando se há elos apertados.

8 – CONFIGURAÇÃO DO FREIO E DAS MARCHAS

Mesmo que eles pareçam bem, sempre sangre seus freios, pois as bolhas ocultas podem causar problemas quando você mais precisar deles. Verifique o alinhamento da pinça de freio para que as pastilhas não encostem no disco.

Se você não souber como sangrar os freios ou ajustar a indexação, siga os vídeos de instruções específicos para o modelo correto de freio nos sites da SRAM ou da Shimano.

9 – ADICIONE COMPONENTES

Adicione o selim. Ajuste a altura, o ângulo e o recuo anterior / posterior antes de medir seu alcance, para que você não cometa o erro comum de encomendar uma nova mesa que talvez não seja necessária.

Verifique neste momento se o dropper funciona corretamente, caso presente. Adicione e prenda os grips, usando o recurso indicado para o modelo que você adquiriu.

10 – CHECK FINAL

Verifique todos os parafusos. Retire a bicicleta do suporte. Salte-o no chão e balance-a para frente e para trás com os freios ativados para verificar se há componentes soltos. Verifique a pressão dos pneus. Defina a pressão da suspensão do garfo e da traseira para obter uma queda de 25% como ponto de partida. Defina o retorno para uma extensão rápida o suficiente para vários solavancos sem que o pneu salte do chão à medida que ele se estende. Novamente, se não tiver certeza, confira os vídeos de Rock Shox e Fox.

Pedale lentamente para verificar as marchas e a posição de controle / selim. Acostume-se à posição, sensação e função de todos os controles. Acione os freios acelerando e freando cada vez mais intensamente algumas vezes, sem parar completamente até sentir o poder aumentar à medida que as pastilhas e os rotores fazem um “burn in” primário.

Antes de acelerar, assista o vídeo de todo esse processo:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

rio cycling revista ciclo sul