Lago Titikaka de bike – A bela fronteira entre Bolívia e Peru

O Lago Titikaka pertence parte ao Peru e parte à Bolívia. Seguramente, em uma pesquisa aprofundada vai encontrar várias curiosidades sobre este que é o lago mais alto do mundo, posicionado a uma altitude de 4 mil metros a nível do mar. Para quem viaja de bike é muito legal fazer este percurso, sobretudo por que é um trecho com comida e acomodações baratas, belas paisagens, pedais não muito exigentes – fora a falta de oxigênio e centros urbanos com trânsito caótico.

O estreito que existe no Lago Titikaka em uma das últimas cidades dessa fronteira da Bolívia é sem dúvida um pedal incrível que você consegue observar os dois lados do lago em alguns pontos da estrada.

Se dermos um zoom no lago é possível ver que a rota que vou lhes apresentar passa por um estreito no meio do Titikaka.

Partindo de La Paz (capital da Bolívia) em direção ao Lago Titikaka você vai encontrar uma saída muito conturbada e um centro urbano não tão agradável – e uma arquitetura bem exótica.

La paz é uma cidade muito grande e rodeada de montanhas, portanto, para sair dali você vai precisar subir muito até chegar em El Alto, que é a parte alta de La Paz.

Arquitetura curiosa e um centro urbano meio desorganizado é normal em qualquer saída de cidade, mas esteja atento aos movimentos dos carros. Os motoristas não estão acostumados e dirigem em velocidade mais alta que o comum.

Você começa a ver o Lago Titikaka quando chega perto de Huarina, este é um trajeto bem tranquilo por que existem bastante opções de cidade e abastecimento para você montar o seu roteiro diário com opções de quilometragens diversas e pontos seguros para acampar.

Quando você chega em Tikina, precisa pegar uma balsa para atravessar o Lago. Não custa caro e talvez demore 30 minutos de espera. É uma travessia rápida e muito bonita. É possível se hospedar em Tikina, em qualquer um dos dois lados da travessia.

Este é o ponto que começa a ficar muito bonito o pedal e você vai ver o lago mais próximo de você.

Para chegar até a cidade de Copacabana, também na beira do Titikaka, você vai encontrar paisagens alucinantes.

Neste trajeto entre Tikina e Copacabana existem algumas subidas bem desafiadoras, com uma descida de 10 km para chegar em Copacabana. No fim da tarde faz muito frio! Lembre-se que estamos a 4 mil metros de altura.

A cidade de Copacabana é pequena mas com bastante turismo local, possui datas festivas e os bolivianos gostam muito dali.

A comida é boa e barata. Pegar um barco em Copacabana para visitar a Ilha do Sol é um passeio muito recomendado que eu não pude fazer, mas vale a pena que vocês pesquisem a respeito.

Um ritual para benzer os carros (sério)

Logo depois de Copacabana você cruza a fronteira para o Peru, onde o trânsito, clima, comida e costumes permanecem bem parecidos e vão mudar só lá frente quando você chegar em Cusco.

Abaixo o vídeo que fiz sobre a Bolívia:

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

rio cycling revista ciclo sul